Confira nota da Federação em defesa da Democracia, da Justiça Eleitoral e de seus servidores

A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União – Fenajufe – vem a público repudiar as declarações de ataques à democracia e à Justiça Eleitoral proferidas pelo acuado presidente Jair Messias Bolsonaro.

Mais uma vez, o presidente da República tenta descredibilizar o sistema eleitoral vigente no país, atingindo de forma vil as servidoras  e servidores da Justiça Eleitoral.

Em entrevista na última sexta-feira (9) o Chefe do Executivo, afirmou novamente que as eleições foram fraudadas “dentro do TSE”, sem apresentar qualquer tipo de prova porque simplesmente não existem, não passando de retórica autoritária e golpista.

Ao atacar as instituições eleitorais, o mandatário do país não só desrespeita servidoras e servidores da Justiça Eleitoral, como também desfere mais um golpe contra uma das mais importantes conquistas do povo brasileiro, a democracia.

A Fenajufe repudia veementemente as atitude antidemocrática e infeliz golpista do presidente que se sente acuado diante da fragilidade do seu governo manchado por denúncias de corrupção, de acusações de rachadinhas e da comprovada negligência com a morte de mais de 532 mil brasileiro/as por covid-19.

Com um governo capenga, se encaminhando para a beira do abismo é fácil perceber o desespero autoritário de Bolsonaro em querer se perpetuar no poder. Não podemos ficar inertes diante ações evidentes de destruição da democracia. A defesa é por um Brasil democrático, livre de mordaças e do retrocesso.

Brasileiras e brasileiros não suportam mais acompanhar a gestão presidencial balizada no ódio às minorias, no aprofundamento das desigualdades sociais, na retirada de direitos e miserabilidade. Exercer o direito ao voto é cidadania.

A Federação mais uma vez expressa indignação e repúdio com essa e qualquer atitude que venha na tentativa de desmoralizar o processo eleitoral brasileiro e que provoque violação nos princípios constitucionais de direito.

A democracia é um direito inegociável.

Brasília, 12 de Julho de 2021.