Segundo dia de atos nacionais contra o governo, a gestão da pandemia e a reforma administrativa acontece neste sábado, 19

A classe trabalhadora volta a ocupar às ruas neste sábado contra o genocídio do povo brasileiro, por vacina e contra a reforma administrativa que liquida o serviço público


Sintrajufe orienta a quem estiver em condições físicas, sanitárias e de saúde adequadas a participar: quem não puder e/ou não se sentir seguro, pode participar seguindo nossas redes e compartilhando imagens dos protestos em todo o país


No Maranhão, já são três cidades confirmadas com manifestações a partir das 8h: São Luís (Praça Deodoro), Imperatriz (Praça de Fátima) e Caxias (Praça da Matriz)


O 19J, segundo dia de protestos contra o governo Bolsonaro e sua (anti)gestão da pandemia do Coronavírus – que infelizmente caminha para mais de meio milhão de vítimas e com a vacinação ainda patinando (menos de 12% da população já tomou a segunda dose dos imunizantes disponíveis e o governo segue em sua cruzada contra a Coronavac, principal imunizante disponível e cuja fabricação está a cargo do serviço público brasileiro em território nacional) – acontece neste sábado em todo o país.

No Maranhão, pelo menos três grandes cidades já tem atos confirmados, que ocorrerão simultaneamente às 8h em São Luís (concentração na Praça Deodoro, no centro da capital), em Imperatriz (Praça de Fátima) e Caxias (Praça da Matriz).

Além dos atos reivindicarem o afastamento imediato do presidente e de seu vice em razão da mortandade do povo num momento em que já há vacinas disponíveis e ainda há entre os aliados de Bolsonaro quem defenda um inexistente – segundo a ciência – “tratamento precoce”, as mobilizações também pretendem fazer a defesa dos serviços públicos, que mostraram sua essencialidade em meio à pandemia mas que estão sob a mira de Bolsonaro e aliados seus e do mercado no Congresso Nacional, através da proposta de reforma administrativa (PEC 32), que na verdade prejudica as carreiras dos futuros e atuais servidores de todas as esferas e consequentemente o atendimento à população, além de favorecer a corrupção, com o afastamento do concurso público como regra e a volt do apadrinhamento político como porta de entrada no funcionalismo.

A primeira data de retorno das grandes mobilizações contra o governo aconteceu no último 29 de maio, e levou milhares de pessoas às ruas. Ao contrário das aglomerações promovidas pelo governo, neste caso há a exigência do uso de máscaras, álcool gel e distanciamento físico adequado como requisito para participação, além da orientação de não ida às atividades em caso de qualquer sintoma (febre, dores, coriza etc).

Os atos também se diferenciam das ações de apoio a Bolsonaro em números, como ficou visível em imagens comparativas dos protestos.

Diretoria do Sintrajufe apoia ações contra reforma administrativa, tem acordo na pauta das reivindicações e orienta sua base a participar seguindo as normas sanitárias de segurança

A exemplo do 29M, o Sindicato incentiva àqueles entre os seus que desejarem e puderem a ir às manifestações, cujos motes principais, além da defesa do serviço público contra a reforma administrativa e o Fora Bolsonaro, a vacinação em massa e imediata da população e auxílio emergencial digno de no mínimo R$ 600,00 para afastar o drama da fome.

Aos que não puderem estar fisicamente, a forma de participação será virtual, acompanhando, nas redes, as hashtags ligados ao ato, onde devem figurar, a exemplo do 29M, #19J e #19JForaBolsonaro. Naquela ocasião, essas citações estiveram entre as mais destacadas nos trend topics mundial do Twitter.

Para a Diretoria do Sindicato, o momento é dramático, e esta é a hora de exercitar na prática a unidade necessária para derrotar a pauta recessiva e defender os direitos dos servidores públicos e de toda a população.

Não à reforma administrativa! Vacina para todos e todas! Auxílio imediato e digno a quem precisa!

Siga acompanhando este assunto em nossas redes sociais.