Destaque Movimentos Sociais

Na véspera do Dia da Consciência Negra, mais uma infeliz prova da importância desta data: João Alberto Freitas, presente!

João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, foi covardemente assassinado dentro de uma unidade do supermercado Carrefour na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, neste 19 de novembro.

João Alberto é mais uma vítima do genocídio da população negra, a que o Brasil assiste, em boa parte passivamente, enquanto nega o racismo que vitima Cláudias, Marielles, Gerôs, Migueis, entre tantos outros Brasil afora, seja nas favelas, seja nos presídios, espaços onde são maioria e, neste último caso, mesmo sem grande parte ter sequer ido a julgamento, em mais uma negação de seus direitos mais humanos; ou ainda nos espaços institucionais de poder, como Marielle Franco e Anderson Gomes, execução que está em vias de chegar aos mil dias sem solução, embora se saiba que os assassinos habitavam o Vivendas da Barra.

Diante disso tudo, o Sintrajufe CONVOCA sua categoria, trabalhadores responsáveis diariamente pela distribuição da Justiça, A CERRAR FILEIRAS NA LUTA ANTIRRACISTA.

Diante desse quadro aterrador, não nos basta nos declarar “sem preconceitos”.

É preciso avançar.

Avançar na luta que nos cobra enquanto civilização e enquanto seres humanos. Não dá para ficar reproduzindo o racismo com discursos que negam sua existência, que proclamam uma falsa democracia racial, que escondem a tragédia diária para que se possa aplacar a nossa própria consciência. Que buscam tornar essa luta ancestral em invisível, com falas como “o que temos que ter é uma consciência humana”. Basta! Basta de reforçar o racismo! E isso se faz com enfrentamento, com desconstrução, com aprendizado humilde.

Não podemos mais tolerar e nem ser coniventemente cúmplices do genocídio da população negra!

Numa sociedade marcadamente racista como a nossa, não basta não ser racista: é preciso, no Estado com a segunda maior população negra de um país com a maior população negra fora do continente africano, ir para o enfrentamento ao preconceito. Não podemos silenciar; é preciso ser antirracista!

Que a morte de João Alberto nos perturbe a tal ponto de não permitirmos que tudo siga como está. Que não tenha sido em vão.

Neste 20 de Novembro de Zumbi e de Dandara dos Palmares, que atendamos ao seu chamado nesta luta. Que a Coragem do Dragão do Mar e do Mestre Sala dos Mares nos estimule nesta luta da qual não podemos mais fugir ou nos esconder.

João Alberto, presente, presente, presente!
Sintrajufe Maranhão