Destaque Movimentos Sociais

Fotógrafos independentes, servidores do Judiciário Federal participam de projeto que une arte e solidariedade

Adriano Almeida e João Maria Bezerra, servidores da Justiça Federal do Maranhão e portanto da base do Sintrajufe, participaram do projeto Olhar Solidário, iniciativa que reuniu fotógrafos que atuam no Maranhão, que cederam sua arte para contribuir com setores vulneráveis da população, que se viram em uma situação ainda mais delicada ante a pandemia do novo coronavírus.

Os fotógrafos doaram imagens captadas por suas lentes e reveladas no Foto Sombra, empresa que também participou da iniciativa, que ainda hospedou o trabalho em seu site, de onde foi comercializado e teve renda revertida para projetos solidários, como as ações realizadas pelo Lar de José e o Pouso Obras Sociais, instituições que são referência na assistência aos setores vulneráveis da população de São Luís do Maranhão – o trabalho do Pouso Obras Sociais, por exemplo, pode ser visto em sua conta no Instagram (https://www.instagram.com/pouso_obras_sociais/).

No total, foram comercializadas 103 fotografias, gerando uma receita de mais de dez mil reais, distribuída igualmente entre as duas instituições citadas acima. Além do Foto Sombra, a Clara Comunicações foi parceira da iniciativa, com uma campanha de mídia abraçada pela imprensa local.

Adriano Almeida, além de fotógrafo independente, é apoiador de causas populares, como as lutas de comunidades tradicionais e quilombolas, e participa ativamente da vida do Sindicato. A seguir, ele nos conta um pouco como foi participar do Olhar Solidário. Esta matéria é ilustrada com sua arte que fez parte do projeto, e seu trabalho no campo da fotografia pode ser acompanhado também em sua conta no Instagram (siga @adrianoalmeida_fotos ou acesse www.instagram.com/adrianoalmeida_fotos para ver como ele une a arte da fotografia com a militância e um olhar bem peculiar sobre aspectos da vida cotidiana).

“A solidariedade afaga”

Sintrajufe: Como foi participar desta ação, Adriano, ainda mais num momento tão delicado quanto este da pandemia, com o claro escancaramento e aprofundamento da desigualdade?

Foi muitíssimo gratificante e trouxe uma sensação de êxito nesta tarefa. O convite lançado pela equipe que organizou a iniciativa soou como uma convocação.
Poder contribuir com minhas fotos para somar esforços com os demais fotógrafos nesta ação foi uma honra, sobretudo diante de um momento tão delicado quanto o que nós vivemos e cientes das dificuldades que a população em situação de vulnerabilidade está submetida.
A solidariedade afaga tanto quem é beneficiado com a ação quanto que doa.

Sintrajufe: Como foi colocar sua arte a serviço desta ação?

A minha arte surge das questões e das paisagens em que estou mergulhado.
Uso a fotografia como um instrumento para expressar como reflito sobre meu papel no mundo.
Ela para mim serve como um fio condutor em busca de mais clareza e consciência. As imagens que gero são frutos desse caminhar precário.
Poder usá-las para concretamente convertê-las em benefício real para quem precisa é formidável.

Sintrajufe: Você acha que é importante manter ações assim, que ajudam a mitigar o sofrimento neste momento? Além disso, o que mais você acha que pode ser feito?

Ações como essa são muito importantes. Mobilizar pessoas com eficiência em prol de atos de solidariedade e socorro humanitário é sempre um ganho para a sociedade.
Vivemos uma situação emergencial, quem tem fome tem pressa, existem urgências que demandam por ações rápidas haja vista a sobreposição de crises a que o Brasil está submetido, tais como crise política, sanitária, econômica, etc.
Ações como a “Olhar Solidário” ajudam a mitigar os efeitos danosos sobre os grupos atendidos, contudo as ações de grande monta e impacto de maior amplitude no enfrentamento das crises passam por uma análise crítica e profunda das atuais circunstâncias em que estamos imersos que nos levem a ações proativa desde o nível do indivíduo até a escala planetária.

Além das fotos produzidas pelo servidor Adriano Almeida (como as vistas nesta matéria), o trabalho de todos os fotógrafos que participaram do projeto Olhar Solidário ainda está disponível para ser apreciado no site do Foto Sombra – https://fotosombra.com/home ou na conta do Olhar Solidário no Instagram – https://www.instagram.com/olharsolidariosls/