Luta contra as reformas Pauta Nacional

“Para salvar vidas e o Brasil, basta de Bolsonaro e Mourão”: jornada de lutas acontece este final de semana; veja como aderir

Centrais sindicais, movimentos sociais e demais organizações da sociedade civil, tendo em vista o agravamento da pandemia e o perigo representado por Bolsonaro no poder nesse contexto, convocam todos e todas a participar, entre os próximos dias 10 a 12 de julho, da Jornada de Lutas pelo Fora Bolsonaro.

A Jornada de Lutas acontece em todo o país e tem como tema “Para salvar vidas e o Brasil, basta de Bolsonaro e Mourão“.

A justificativa deste conjunto de mobilizações é o ataque do governo a parcelas da sociedade e seu comportamento ante a aceleração da pandemia.

Para se ter uma ideia, nesta quarta-feira Bolsonaro vetou importantes trechos da lei que pretende proteger vidas de povos tradicionais e originários da contaminação pelo coronavírus, além de ter retirado o uso obrigatório de máscaras em diversas situações.

A condução das políticas públicas durante a pandemia também prejudica a sociedade pois, em vez de conter a propagação da Covid19 tornou-se um convite à sua disseminação: um exemplo foi o desdém com que o presidente anunciou sua “contaminação” nesta terça-feira, 7, aproximando-se de jornalistas sem usar máscara.

Carreata em São Luís

Estão planejadas ações para quem quiser se engajar na mobilização desde sua casa ou participar de forma mais presencial, desde que observadas as condições de segurança:

Nesta sexta-feira, 10, acontece em São Luís a carreata Fora Bolsonaro, com concentração às 8h, com “adesivaço”, na Sede da Federação dos Trabalhadores das Indústrias do Estado do Maranhão – FETIEMA, na Rua Senador João Pedro, Canto da Fabril, em frente à Praça da Bíblia.

Da Praça da Bíblia, o movimento segue para a Sede do Ministério da Fazenda na capital maranhense, onde acontece um “buzinaço” contra as medidas econômicas de Guedes, reivindicando ainda que o Auxílio Emergencial siga, sem redução de valor, até dezembro para quem precisa, além de exigir a desburocratização das linhas de crédito para os micros e pequenos empresários: os empecilhos estão fazendo com que os grandes bancos fiquem com o dinheiro público em vez de disponibilizar para o socorro aos pequenos empreendimentos.

De lá a carreata segue por vias do centro da cidade, encerrando-se com um ato simbólico na Praça Deodoro.

No Maranhão, a jornada é coordenada pelas centrais CSP Conlutas, CUT, CTB, Força Sindical, NCST, CSB e UGT, que lembram que para a carreata é obrigatório uso de máscaras, porte de álcool em gel e a manutenção do distanciamento físico entre os presentes.

Quem fica em casa também pode participar:

Para a sexta-feira, a CSP Conlutas, central a qual o Sintrajufe/MA é filiado, propõe:

a – Vestir preto e orientar que todas as pessoas assim o façam, que coloquem uma toalha ou pano preto nas janelas nesse dia, como forma de protesto;

b – Participação nas redes sociais (twitaço, curtindo e compartilhando as postagens da CSP-Conlutas) que ocorrerem durante todo esse dia;

c – Intensificar a divulgação para um grande barulhaço nacional às 20h30;

d – Divulgar conteúdos nas redes sociais reforçando os eixos de luta nesse dia pelas redes sociais:

#ForaBolsonaro #AuxílioEmfergêncialAtéDezembro #RendaDigna #QuarentenaGeralJá #VidasAcimaDoLucro.

Dia 11 – Plenária Popular Nacional pelo Fora Bolsonaro. Impeachment, já!
A iniciativa contará com a participação das Centrais Sindicais, sindicatos, movimentos sociais, partidários e organizações da sociedade civil. Esta ação é nacional e para detalhes devem ser acompanhadas as redes sociais e sites dos organizadores que são, além das centrais, partidos de esquerda, as Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, Torcidas Organizadas, além de várias organizações da sociedade civil.

Dia 12 – Atos de rua
A CSP-Conlutas apoiará esses atos e vai organizar em cada lugar, que estejam convocados, a participação em bloco de ativistas da CSP-Conlutas com bandeiras, máscaras, faixas e cartazes levando as reivindicações pelo Fora Bolsonaro e Mourão, pelo fim do racismo, em defesa da democracia e dos direitos dos trabalhadores. É importante organizar colunas que permitam o distanciamento entre os manifestantes. Estas ações devem acontecer nas grandes capitais e poderão ser acompanhadas pela Internet.

Veja também:

Em defesa da vida, dos empregos e da democracia, centrais sindicais exigem Fora Bolsonaro já