Petroleiros, professores e demais categorias do serviço público apontam greve contra PEC Emergencial, reforma da Previdência e pela defesa de direitos

Destaque Pauta Nacional

Mesmo com as ameaças do governo federal aos trabalhadores – e justamente em razão delas, como redução de salários, fim dos concursos e destruição dos serviços públicos – diversas categorias já estão na luta em defesa de seus direitos: é o caso de petroleiros e servidores da DataPrev e da Casa da Moeda, ameaçados pelas privatizações e entreguismo desenfreado do patrimônio público, que se encontram em greve.

Nesta sexta-feira, 7, duas grandes categorias também sinalizaram que não ficarão assistindo a destruição do patrimônio brasileiro sem luta: reunidos em Congresso que está sendo realizado em São Paulo, os professores das universidades sinalizaram com a construção do 18 de Março indicado pelo Fonasefe (veja link ao final), além de outras datas importantes (como 8 de março, Dia Internacional da Mulher e 14 de Março, quando completam dois anos da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes, até hoje sem punição de mandantes e executores), além de apontarem para a construção de uma greve por tempo indeterminado em defesa da Educação Pública.

Também nesta sexta-feira os servidores (técnicos e docentes) dos institutos federais, que participam de Seminário no Rio de Janeiro reafirmaram posição pela construção de um grande 18 de Março na defesa do patrimônio da sociedade brasileira, contra a PEC Emergencial que reduz salários no serviço público, contra o aumento da alíquota de contribuição previdenciária e demais efeitos da reforma da Previdência, e na defesa dos direitos sociais.

A base do Sintrajufe deve ficar atenta para a construção das mobilizações dessa data. A Diretoria do Sindicato em breve deve indicar a data de realização da Assembleia para construção da participação de nossa categoria nesse dia, seguindo o que já fora deliberado em diversas assembleias, de construir a mais ampla unidade na luta em defesa de nossos direitos: avante!

Veja também:

Contra o confisco salarial via aumento da contribuição previdenciária e PEC Emergencial; contra a retirada de direitos sociais: trabalhadores organizam greve para 18 de março