Servidores confirmam adesão à Greve Geral do dia 14: confira pontos de concentração, participe e defenda sua aposentadoria!

Pauta Nacional

A Assembleia Geral realizada nesta terça-feira, 11, na Justiça Federal na Areinha em São Luís, referendou o indicativo das assembleias setoriais realizadas semana passada nas justiças eleitoral e trabalhista pela adesão à greve geral de todos os setores marcada para esta sexta-feira contra a reforma da Previdência. Além disso, deliberou-se pela forma como a categoria vai se juntar a este movimento nacional dos trabalhadores na defesa de suas aposentadorias, pensões, e auxílios.

Os presentes avaliaram pontos que consideram inaceitáveis na proposta de reforma, e viram o cenário atual como sendo de “ataques de todos os lados”, aos quais precisam reagir urgentemente.

Além da discussão sobre a conjuntura, a assembleia ainda contou com informes jurídicos e eleição de delegados para o 4º Congresso da CSP Conlutas, que acontece em agosto em São Paulo: foram eleitos Saulo Arcangeli, Gisélia Castro e Joaci; como suplentes, Terezinha e Fredson.

A adesão à greve vem crescendo em todo o país, com diversas categorias se comprometendo a participar da mobilização: bancários, professores da rede pública e das universidades, metroviários, rodoviários, servidores do Executivo, metalúrgicos, entre outros, estão na linha de frente da greve. No caso do Judiciário Federal e do MPU, já decidiram pela paralisação, além do Maranhão, Unidades como Distrito Federal, Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Tocantins.

Em São Luís, deliberou-se pela realização de um ato na Justiça Federal, no bairro da Areinha, às 10h, para o qual toda a categoria está convocada.

Na ocasião, será lançado painel para alertar as pessoas sobre as mentiras contidas na proposta de reforma, apresentado um “bolo do orçamento”, que mostra que não é a previdência pública o “sangradouro” de dinheiro desenhado pela mídia e por Bolsonaro e Guedes, com a perspectiva de abrir o debate sobre o assunto.

Além do ato na JF, a manhã da greve geral contará com concentrações de diversas categorias na entrada do Campus do Bacanga, na UFMA, e na BR 135, no KM 02, na entrada da Vila Itamar, zona rural da capital maranhense. A ideia é parar todas as atividades como alerta ao governo que os trabalhadores não tolerarão o ataque à previdência.

À tarde, grande ato unificado acontece a partir das 13h na Praça Deodoro, e todos estão convocados a participar.

O momento é urgente e sua participação, imprescindível!